terça-feira, 22 de abril de 2008

Síndrome do Pânico

É difícil começar de novo. Bem difícil. Mais do que imaginava. Não, não estou mal pelo casamento que deixou de ser, pela relação que se esgotou. Na na não. Isso já tava resolvido - e levou um tempo, claro, antes da decisão. Talvez um pouquinho mal sim, vai... É claro, sou humano, sofro. E o sofrimento faz parte da racionalidade. Ponto. E além do que é preciso saber sofrer com dignidade. Outro ponto. Mas é que de certa forma o Jota sempre representou pra mim uma fuga do mundo lá fora. Aquele mundo cruel de comparações e superficialidades. De noites iguais e de tentativas frustradas. Pelo contrário, era talvez um alívio sentir a casa movimentada aos sábados e perceber que não era o único (que horror!) a não sair. Que não era preciso dar atenção aos amigos falsos, aos amigos de balada, aos amigos quero-ferver, à todos os pseudo-amigos que só são amigos enquanto você está lá bombando, picando cartão, fervendo junto. Não. Definitivamente respirei aliviado quando descobri que existe vida após-balada. Programas diurnos, passeios culturais, cozinhas diferentes. E em nenhum momento aquela imensa - e patética - cobrança do estar junto, do ter alguém, do fazer sucesso... Bom, o fato é que é difícil começar de novo, e meus nervos estão em frangalhos, uma verdadeira síndrome do pânico. Chega a ser patético confessar isso, mas é preciso. Tenho pânico das ruas, tenho medo de sair sozinho, tenho pavor de estar em baladas, e só de imaginar as possibilidades minha instabilidade vai a mil. Eu sei muito bem que é ridículo, que "você deve sair para se divertir", que "não se deve dar atenção para o que as pessoas pensam", que "tudo na vida tem sua razão de ser e acontece em seu momento exato". Mas e o que eu faço, afinal, com a minha ansiedade? Como eu posso deixar que a vida se encarregue de tudo se quando ela se encarrega de tudo quase nada acontece? Como sair se tudo lá fora me parece previsível e desinteressante? O que eu faço para começar de novo, se eu simplesmente não sei por onde? Eu sei, vai passar e tal, mas quer saber, é phoda...